A volta ao jazz em 80 mundos

com Reinaldo Figueiredo

A ideia do programa A volta ao jazz em 80 mundos, apresentado por Reinaldo Figueiredo, é dar uma visão planetária do jazz, que nasceu em Nova Orleans, nos EUA, mas foi se tornando uma linguagem universal, com muitos sotaques diferentes, absorvendo influências musicais de todos os continentes.

O título do programa é uma referência a um livro de Julio Cortázar, um dos escritores mais jazzísticos do século XX. No livro A volta ao dia em 80 Mundos, ele fala de muitos assuntos, inclusive jazz, e dedica belas páginas a Louis Armstrong, Thelonious Monk e Clifford Brown.

A volta ao jazz em 80 mundos também é apresentado no terceiro sábado de cada mês, às 19h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz), e reapresentado na segunda-feira seguinte, às 22h.

O prefixo do programa é Hot bean strut, do pianista panamenho Danilo Perez.

Reinaldo Figueiredo começou a gostar de jazz entrando pela porta da bossa nova. Depois de ver ao vivo Leny Andrade com o Bossa Três, saiu comprando discos de trio piano/baixo/bateria. Nos anos 1970, enquanto era cartunista no Pasquim, também tocava pandeiro num obscuro conjunto de choro que nem nome tinha, mas era apelidado de Época de Merda. Em 1984, junto com Hubert e Claudio Paiva, criou o tablóide de humor O Planeta Diário. Nos anos 1980 e 1990, integrante do Casseta & Planeta, participou como baixista dos shows musicais do grupo. Desde 1998 toca contrabaixo na CEJ - Companhia Estadual de Jazz - grupo dedicado ao samba-jazz.