Composição: Duke Ellington, Irving Mills e Irving Gordon

É uma das mais célebres baladas de Ellington. Destaca-se a modulação que ele criou para a segunda parte, num tom muito distante do da primeira. Na gravação original, o saxofonista Johnny Hodges já demonstra intimidade com a música, que se tornaria um de seus carros-chefe.

 

Texto e apresentação: Zuza Homem de Mello

Gravação: Lucas Nobile

Edição: Filipe Di Castro