Composição: Duke Ellington, Billy Strayhorn e Johnny Mercer

Um exemplo do que levou Ellington a ser chamado de Duke Elegance: dois parceiros de alta categoria (embora nesta gravação instrumental não ouçamos a letra de Mercer), melodia e arranjo cativantes.

 

Texto e apresentação: Zuza Homem de Mello

Gravação: Lucas Nobile

Edição: Filipe Di Castro