Aracy de Almeida, nascida em 1914, foi uma criança com “tendência para tudo que não fosse próprio do seu sexo”, segundo seu irmão Almir. Gostava de pipa, bola de gude, de brincar com meninos. Quando conheceu Noel Rosa e ele a apresentou a malandros e boêmios, sentiu-se à vontade. Tornou-se a principal intérprete dos sambas de Noel e a cantora de maior destaque no elenco da gravadora Victor.

Rodrigo Alzuguir e Pedro Paulo Malta contam como foram os primeiros 22 anos da vida de Aracy, valendo-se de depoimentos da própria (na voz dela ou lidos por Cristina Buarque, Olivia Byington e Marcos Sacramento). As frases divertidas e inteligentes da artista são um dos charmes deste capítulo inicial da série. Além das músicas, é claro.

Duração do capítulo: 59:00

Repertório

O X do Problema (Noel Rosa) – Aracy de Almeida (Victor/out. 1936)

Riso de criança (Noel Rosa) – Aracy de Almeida (Columbia/dez. 1934)

Triste cuíca (Noel Rosa e Hervé Cordovil) – Aracy de Almeida (Victor/mai. 35)

Tenho uma rival (Walfrido Silva) – Aracy de Almeida e Regional de Benedito Lacerda (Victor/mai. 35)

Cansei de pedir (Noel Rosa) – Aracy de Almeida e Grupo de Canhoto (Victor/jul. 35)

Não deves sorrir pra mim (Roberto Martins) – Aracy de Almeida e Grupo de Canhoto (Victor/ago. 35)

Samba o meu samba (J. Aimberê) – Aracy de Almeida e Grupo de Canhoto (Victor/ago. 35)

Amor de parceria (Noel Rosa) – Aracy de Almeida e Regional RCA Victor (Victor/set. 35)

Tens de compreender (Nássara) – Aracy de Almeida (Victor/dez. 35)

Não te dou perdão (José Fernandes e Germano Augusto) – Aracy de Almeida (Victor/dez. 35)

Palpite infeliz (Noel Rosa) – Aracy de Almeida (Victor/jan. 36)

 

Concepção, pesquisa e apresentação: Rodrigo Alzuguir e Pedro Paulo Malta

Locuções: Cristina Buarque, Olivia Byington e Marcos Sacramento

Edição: Filipe Di Castro