O primeiro dos seis episódios da série destaca Vinicius de Moraes. Afinal, sem ele não haveria Canção do amor demais. Versos seus musicados eram a base do projeto sonhado por Irineu Garcia, do selo Festa.

Como ele mesmo explica, em áudio reproduzido no capítulo, Vinicius quis Elizeth Cardoso porque a voz da Divina (era assim que ele a chamava) lhe devolvia a emoção profunda que sentiu ao desembarcar no porto de Santos, em 1950, após cinco anos servindo como diplomata em Los Angeles. O que ouviu, então, foi Canção de amor, primeiro sucesso da cantora.

João Máximo mostra o caminho musical de Vinicius antes da bossa nova, partindo de um leve fox-trot composto em 1932 e passando pela influência dos tristes sambas-canção de Antonio Maria. O percurso se completou em 1956, quando conheceu Antonio Carlos Jobim e com ele preparou a trilha de sua peça Orfeu da Conceição.

Repertório

Canção de amor (Elano de Paula e Chocolate) – Elizeth Cardoso

Loura ou morena (Haroldo Tapajós e Vinicius de Moraes) – Irmãos Tapajós

Ninguém me ama (Antonio Maria e Fernando Lobo) – Nora Ney

Se eu morresse amanhã de manhã (Antonio Maria) – Dircinha Batista

Quando tu passas por mim (Antonio Maria e Vinicius de Moraes) – Aracy de Almeida

Soneto de fidelidade (Vinicius de Moraes) – Vinicius de Moraes

Ouve o silêncio (Claudio Santoro e Vinicius de Moraes) – Rosana Lamosa e Marcelo Bratke

Poema dos olhos da amada (Paulo Soledade e Vinicius de Moraes) – Sílvio Caldas

São Francisco (Paulo Soledade e Vinicius de Moraes) – Sílvio Caldas

Valsa de Eurídice (Vinicius de Moraes) – Baden Powell

 

Roteiro e apresentação: João Máximo

Edição: Filipe Di Castro