João Bosco e Aldir Blanc compuseram em 1971 a ambiciosa suíte Os Arcos – Paixão e morte, com duração de nove minutos e ambientada na Lapa carioca. João ainda vivia em Ouro Preto; Aldir estava no Rio. Trocavam cartas para fazer esta e outras músicas. João sequer conhecia a Lapa e o Rio quando criou a melodia para os versos do parceiro. A suíte foi gravada em 1973, com arranjo monumental de Luiz Eça. Mas, por causa da duração, a gravadora RCA Victor a retirou do primeiro disco do cantor. Ela ficou guardada pelo produtor Rildo Hora durante 43 anos. A cantora Mariana Baltar e os músicos Jayme Vignoli e Josimar Carneiro, que preparam um CD com letras de Aldir, a localizaram e digitalizaram. A Batuta conta em detalhes essa história e traz a público, pela primeira vez, essa composição singular. O programa tem entrevistas com João e Aldir e também relata as origens da parceria de ambos, uma das mais importantes da música brasileira.

Quem preferir pode ouvir apenas a suíte clicando no segundo áudio. O primeiro traz toda a reportagem.

Repertório

Os Arcos – Paixão e morte (João Bosco e Aldir Blanc) – João Bosco

Alferes (trecho) – (João Bosco e Aldir Blanc) – João Bosco

Agnus sei – (João Bosco e Aldir Blanc) – João Bosco

Sonho de caramujo – (João Bosco e Aldir Blanc) – João Bosco

Navalha – (João Bosco e Aldir Blanc) – João Bosco

 

Roteiro e apresentação: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro