Os sambas-enredo das escolas de samba têm estado mais de olho nos parâmeros dos jurados e nas necessidades dos carnavalescos desenharem o desfile do que na busca de sua beleza própria. Há muito tempo não surge um clássico, uma música que se descole da apresentação na avenida e fique para o esquenta das quadras nos anos seguintes. A safra de 2014 também não apresenta nada que se compare a sambas de Padeirinho, Silas de Oliveira ou Mano Décio – mas o CD anual com as músicas do próximo desfile é muito bom de se ouvir. Há pelo menos duas músicas dignas da grande festa, como o da Portela (do verso “Vou de mar a mar, mareia”) e o do Império da Tijuca (“Vai tremer, o chão vai tremer”).

Por outro lado, o CD de 2014 apresenta uma das mais tenebrosas novidades do produto, que se encaminha para festejar seus 50 anos. A apresentação das faixas é feita pelo carnavalesco da escola, que explica, com muitos vacilos na oratório, o que se tentará mostrar no desfile. O bla-bla-blá quebra o ritmo da incrível variedade de arranjos para os instrumentos de percussão das baterias, mas é um detalhe. O resto é a grande festa da música carioca. Os gritos dos puxadores, os instrumentos de corda desenhando a harmonia, as paradinhas, tudo mais ajuda a fazer com que seja um dos melhores dos últimos tempos o CD das escolas para 2014. Joaquim Ferreira dos Santos ouviu o disco.

Repertório

Império da Tijuca – “Batuk” (Marcio André, Vaguinho, Rono Maia, Alexandre Alegria, Karine Santos e Tatá)

Portela – “Um Rio de mar a mar: do Valongo à glória de São Sebastião” (Toninho Nascimento, Luis Carlos Máximo, Waguinho, Edson Alves, J.Amaral)

Salgueiro – “Gaia, a vida em nossas mãos” (Xande de Pilares, Dudu Botelho, Miudinho, Betinho de Pilares, Rodrigo Raposo e Jassa)

Mocidade – “Pernambucópolis” (Dudu Nobre, Jefinho Rodrigues, Marquinho Índio, Jorginho Medeiros, Gabriel Teixeira e Diego Nicolau)

Mangueira – “A festança brasileira cai no samba da Mangueira” (Lequinho, Júnior Fionda, Paulinho Carvalho e Igor Leal)

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro