Cantora que vem se destacando nos últimos anos na música feita em São Paulo, sobretudo à frente da banda Aláfia, a baiana Xenia França está lançando seu primeiro CD solo. Na série Rádio Batuta Convida, no cine-teatro do IMS Paulista, ela classificou o trabalho como “um disco de identidade”. A cultura negra (da África, do Brasil, de Cuba, dos EUA) é central em “Xenia”, mesmo nas canções de amor. É o que ela contou a Lucas Nobile, na entrevista, que foi entremeada por interpretações de sete músicas do CD. A cantora foi acompanhada apenas do violão de sete cordas de Julio Fejuca, resultando numa sonoridade completamente diferente da que se ouve no disco. Com humor, ela recordou do desejo que tinha quando criança de ser norte-americana, de sua obsessão por Michael Jackson e de outras referências que fazem sua cabeça, como Olodum, Erikah Badu, Djavan e Milton Nascimento.

Repertório

Pra que me chamas (Xenia França e Lucas Cirillo)

Preta Yayá (Theodoro Nagô)

Minha história (Tibless)

Miragem (Sem razão) (Xenia França)

Do alto (Tiganá Santana)

Perfeita pra você (Xenia França)

Tereza Guerreira (Antonio Carlos e Jocafi)

 

Apresentação: Lucas Nobile

Edição: Lilla Stipp