Do jeito que Cauby Peixoto nos acostumou, ou seja, um cantor com técnica para se ajustar a todas as canções, os candidatos ao trono de rei da voz são cada vez mais raros. É o que diz Joaquim Ferreira dos Santos em sua nova crônica, dedicada ao intérprete morto neste 15 de maio, aos 85 anos. Joaquim lembra que Cauby nunca quis ser cool, ao contrário de tantos colegas de profissão. Seu negócio era falar diretamente com os sentimentos dos fãs. Foi assim que ele botou a história sentimental do brasileiro nas cordas de seu gogó imenso.

As crônicas de Joaquim Ferreira dos Santos também podem ser ouvidas no canal de podcasts Rádio Batuta. Baixe o app na loja de sua preferência (como App Store e Google Play).

Texto e locução: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro