Em 1959, a carne também assustou a população, mas não por motivos sanitários. A marchinha Boi da cara preta, cantada por Jackson do Pandeiro, insinuava que homem que comesse carne perderia a masculinidade. A canção preconceituosa pegou, prejudicando açougueiros e reforçando a corrente gastronômica da música brasileira, como recorda Joaquim Ferreira dos Santos.

 

As crônicas de Joaquim Ferreira dos Santos também podem ser ouvidas no canal de podcasts Rádio Batuta. Baixe o app na loja de sua preferência (como App Store e Google Play).

Texto e locução: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro