Grande entusiasta de James Joyce, André Conti encarou a tarefa de reeditar Ulysses, livro que é considerado não apenas a obra mais representativa do autor irlandês, como também o maior marco da ficção ocidental no século XX. Monumento do experimentalismo, Ulysses é considerado um livro hermético e difícil, cujo sentido só se revela a leitores dedicados. André Conti, neste prefácio , oferece algumas portas de entrada para o livro, relata curiosidades acerca da obra e destaca o senso de humor único do romance.

 

Apresentação e produção: Antônio Xerxenesky
Edição: Filipe Di Castro