Uma improvável conjunção de acasos fez com que, no fim de 1955, André Midani desembarcasse no Rio de Janeiro. Sozinho, sem nenhum contato e com pouquíssimo dinheiro no bolso, poucos dias depois já estava trabalhando na Odeon, a lendária companhia de discos. A partir dali, tornou-se uma figura central na história da música brasileira, acompanhando de perto, durante décadas, a carreira de diversos grandes artistas e enxergando como poucos os movimentos e as tendências de nossa cena cultural. Numa longa conversa com Paulo da Costa e Silva, Midani comentou algumas músicas do acervo e revelou a visão privilegiada de quem acompanhou muito de perto as mudanças ocorridas na complexa teia que liga artistas, público e mercado.

Bloco 1
O mar (Dorival Caymmi) – Dorival Caymmi
Tereza da praia (Tom Jobim e Billy Blanco – Dick Farney e Lúcio Alves

Bloco 2
Chega de saudade (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) – João Gilberto
Ai que saudades da Amélia (Ataulfo Alves e Mário Lago) – Ataulfo Alves e Suas Pastoras
Atire a primeira pedra (Ataulfo Alves e Mário Lago) – Orlando Silva com acompanhamento de Lírio Panicali e Orquestra Odeon

Bloco 3
Leva meu samba (Ataulfo Alves) – Ataulfo Alves e Pastoras
Mulata assanhada (Ataulfo Alves) – Ataulfo Alves

Bloco 4
Água de beber (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) – Vinícius de Moraes
Carinhoso (Pixinguinha e João de Barro) – Orlando Silva

 

 

Apresentação: Paulo da Costa e Silva
Produção: Carla Paes Leme
Edição e sonorização: Filipe Di Castro