A francesa Agnès Varda estava se aproximando dos 80 anos quando decidiu fazer um filme sobre si mesma. Na verdade, conta José Carlos Avellar neste programa, seu interesse ao realizar As praias de Agnès (novo DVD da Coleção IMS) continuou sendo os outros, em quem via paisagens, como praias. O filme é como uma sinfonia inacabada, tal qual a peça de Schubert que marcou sua infância. O longa-metragem é um documentário que mostra como o gênero, depois de apontar as câmeras para fora, agora, com as facilidades do digital, aponta para o entorno do próprio realizador. A mostra "Retratos de família", que o IMS apresenta em novembro, reúne outros títulos com essa característica.

 

Edição: Filipe Di Castro