O samba-canção Balada triste é um caso raro na música brasileira. Foi sucesso no mesmo ano, em 1958, em duas gravações distintas, uma na voz de Angela Maria e outra com Agostinho dos Santos. Sua melodia é de Dalton Vogeler, baixista do conjunto de bailes de Valdir Calmon. A letra é de Esdras Silva. Críticos reconheceram no prólogo da canção o clima da Serenata, de Schubert. A gravação aqui apresentada é a do cantor paulista Agostinho dos Santos (1932-1973), que chegou ao mercado um pouco depois da de Angela Maria.

Seleção e texto: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro