Dando sequência à tradição de brigas da música brasileira, cearenses e baianos se enfrentaram nos anos 1970. A geração de Belchior e Fagner queria se firmar como novidade e cutucava os consagrados Caetano Veloso e Gilberto Gil. A polêmica foi recordada em função da morte de autor de Como nossos pais e é tema desta crônica de Joaquim Ferreira dos Santos. As duas turmas nunca ficaram de bem, mas houve momentos de aproximação, como Medo de avião II, parceria de Gil e Belchior.

 

Texto e locução: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro