Quando Pixinguinha vivia um mau momento pessoal e profissional, na década de 1940, o flautista Benedito Lacerda apareceu para recuperá-lo para o mundo das gravações. Benedito passou a ser atacado por se tornar parceiro em 34 músicas que, na sua maioria, eram apenas de Pixinguinha. O acordo entre os dois, não muito estranho para a época, foi considerado absurdo para pessoas de décadas posteriores. Bia Paes Leme lembra que o autor de Carinhoso sempre considerou o flautista um grande amigo e era grato a ele. E os registros dos dois tocando juntos, com Pixinguinha no sax tenor, são históricos. Neste programa estão Ele e eu, Ingênuo e Serpentina.

Edição e sonorização: Filipe Di Castro