Os apelidos pelos quais os políticos eram identificados na lista da Odebrecht são motivo de vergonha para eles e para o país. Joaquim Ferreira dos Santos recorda que na música popular os codinomes, na maioria dos casos, eram dados e recebidos com carinho. Entre os exemplos citados na crônica estão Tremendão (Erasmo Carlos), Sapoti (Angela Maria), Marrom (Alcione), Enluarada (Elizeth Cardoso) e Babulina (Jorge Ben Jor).

Texto e locução: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro