Joaquim Ferreira dos Santos constata que Zuenir Ventura estava certo ao dar a seu livro o título 1968 – O ano que não terminou. Aqueles 366 dias vão completar 50 anos em 2018 e continuam a fazer nossas cabeças, nossos olhos e nossos ouvidos. Até o regime militar decretar o AI-5 em 13 de dezembro, o Brasil alargou seus limites culturais, não sem muitos confrontos. O tropicalismo foi quem desfolhou as principais bandeiras.

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro