Autor do famoso verso "Todas as cartas de amor são ridículas", Fernando Pessoa manteve extensa correspondência amorosa com Ofélia Maria Queiroz Soares, entre 1919 e 1935. A edição completa foi publicada em 2013. Gilda Santos, professora de literatura portuguesa da UFRJ e vice-presidente do Centro de Estudos do Real Gabinete Português de Leitura, comentou essa produção do poeta no curso Remetente/Destinatário, realizado no IMS-RJ. Na aula de 27 de maio, ela ressaltou que as cartas de Pessoa também podem ser tratadas como ficção, pois ele não era rigorosamente confessional nelas. E mostra como, para Ofélia, a correspondência equivalia a um diário, pois sua produção era avassaladora.