Foi na década de 1980 que Paulinho da Viola deu uma guinada na sua maneira de tocar a carreira. Depois de três bons discos feitos na Warner, entre 1981 e 1983, ele passou a gravar menos, compor menos, ser mais cuidadoso com o tempo. Entre 1983 e 1996, seu único disco foi o primoroso Eu canto samba (1989), uma declaração de princípios já no título.

Repertório

Onde a dor não tem razão (Paulinho da Viola e Elton Medeiros) – Paulinho da Viola

Rumo dos ventos (Paulinho da Viola) – Paulinho da Viola

Prisma luminoso (Paulinho da Viola e Capinan) – Paulinho da Viola

Eu canto samba (Paulinho da Viola) – Paulinho da Viola

Quando bate uma saudade (Paulinho da Viola) – Paulinho da Viola

Só o tempo (Paulinho da Viola) – Paulinho da Viola

 

Roteiro e apresentação: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro