Se você jurar, de Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves, está comemorando 85 anos de sua primeira gravação, em 1931. Há quem o considere um dos reais marcos iniciais do samba, e não o centenário Pelo telefone, de Donga e Mauro de Almeida, composto em 1916 e considerado apenas mais um maxixe. Polêmicas à parte, Augusto Martins e Cláudio Jorge estão lançando o CD Ismael Silva: Uma escola de samba.

Ismael fundou, com a turma do bairro do Estácio de Sá, a primeira escola de samba, Deixa Falar, e deixou clássicos como Antonico. Neste programa, entrevistados por Joaquim Ferreira dos Santos, Augusto e Cláudio contam a trajetória de Ismael, nascido em 1905 e morto em 1978, responsável por um samba urbano que iniciou o caminho daquele que conhecemos hoje. Chico Buarque chegou a afirmar que ele tinha sido sua maior influência.

Na entrevista, Cláudio Jorge é o primeiro a falar, abrindo a conversa.

Repertório

O que será de mim (Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves) – Francisco Alves e Mario Reis

O que será de mim (Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

Sofrer é da vida (Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves) – Mario Reis

Sofrer é da vida (Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

A razão dá-se a quem tem (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves) – Francisco Alves e Mario Reis

A razão dá-se a quem tem (Ismael Silva, Noel Rosa e Francisco Alves) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

Quem não quer sou eu (Noel Rosa e Ismael Silva) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

Aliás (Ismael Silva) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

Peçam bis – (Ismael Silva) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

Todo mundo quer (Ismael Silva)/ Nem é bom falar (Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

Antonico (Ismael Silva) – Ismael Silva

Antonico (Ismael Silva) – Augusto Martins e Cláudio Jorge

 

 

As músicas do Estúdio Batuta também podem ser ouvidas no canal de podcasts Rádio Batuta. Use seu app favorito para escutar.

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro