Para seu fã ilustre Paulo Moura, ele era o mais original dentre os músicos que se dedicaram à orquestra popular urbana. Sebastião Barros, o K-Ximbinho (1917-1980), nasceu em Natal e se tornou no Rio um clarinetista e saxofonista muito admirado pelos colegas de profissão, além de craque nos salões de bailes. Não por acaso, tocou na mais famosa das orquestras, a Tabajara. E também brilhou em carreira solo. Ricardo Silveira apresenta algumas peças dessa carreira.

Músicas

Sonoroso (K-Ximbinho) – Orquestra Tabajara

Sempre (K-Ximbinho) – Orquestra Tabajara

Tudo passa (K-Ximbinho) – K-Ximbinho

Perplexo (K-Ximbinho) – K-Ximbinho

Ternura (K-Ximbinho) – Paulo Moura, Raphael Rabello, César Faria e Zé da Velha

Eu quero é sossego (K-Ximbinho) – K-Ximbinho

Catita (K-Ximbinho) – K-Ximbinho

 

Apresentação: Ricardo Silveira

Edição e sonorização: Filipe Di Castro