“Dos escritores atuais, é aquele que conseguiu ir mais fundo na alma do homem contemporâneo”. Com essa frase, a escritora colombiana Laura Restrepo justifica a sua escolha de Infância, do sul-africano J.M. Coetzee, como livro a receber um prefácio seu. É esse prefácio que ouvimos agora, em mais um programa gravado na última FLIP.