Foi-se o tempo em que Lupicínio Rodrigues pedia vingança, vingança contra a mulher que o abandonara, e pedia que ela rolasse como as pedras na beira da estrada, sem ter nunca um cantinho para descansar. O drama amoroso parece erradicado da música brasileira, cedendo o lugar para canções como as dos Tribalista, onde "não sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo me quer bem". Léo Jaime, compositor de "Fórmula do amor" e outros hits do pop romântico, conversa com Joaquim Ferreira dos Santos sobre o fim do pé na bunda na canção brasileira. Lamenta o politicamente correto: "Hoje não daria para dizer 'olha que coisa mais linda'". Pelo menos nas letras da MPB, ninguém fracassa mais, são todos poderosos, como a Anitta, ou paquerados pela amiga da mulher, como Seu Jorge. Léo Jaime lamenta outra vez: "O chifre é um rito de passagem na educação sentimental do brasileiro". As músicas escolhidas são interpretadas por ele.

Repertório

A fórmula do amor  (Léo Jaime/Leoni)

Extravios  (Dalto/Antonio Cicero)

Sônia  (B. Hebb, versão de Leandro)

Mensagem de amor  (Herbert Vianna)

Gatinha manhosa  (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)

Conquistador barato (Léo Jaime)

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro