Neste segundo podcast da revista serrote, Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas entrevistam a professora e crítica literária Beatriz Resende, há muito estudiosa de Lima Barreto e sempre por ângulos que evitam o óbvio. Organizadora do recém-lançado Impressões de leitura e outros textos críticos, ela destaca aspectos de Lima: o condutor de campanhas como a da defesa das mulheres maltratadas pelos maridos; o escritor consciente do próprio valor, apesar de tão rejeitado; o homem que produziu ternura mesmo após ser “quebrado” no hospício. De certa forma, diz Beatriz, a exclusão definiu o papel de Lima como intelectual: não se tornou um artista oficial nem foi corrompido pela vaidade.

 

Apresentação: Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas

Edição: Filipe Di Castro