Algumas delas são tidas hoje como racistas, machistas ou homofóbicas. Mas, na história do carnaval, as marchinhas garantiram grande parte da alegria dos foliões, vivendo seu auge nos anos 1930 e 1940 e mantendo sua força até a década de 1960. O segundo capítulo da série sobre música de carnaval trata delas e recorda exemplares de sucesso do gênero.

Repertório

Mamãe eu quero (Jararaca e Vicente Paiva) – Jararaca, com participação de Almirante na introdução

Moreninha da praia (João de Barro) – Almirante

Alá-lá-ô (Haroldo Lobo e Nássara) – Carlos Galhardo

Mulata iê-iê-iê (João Roberto Kelly) – Emilinha Borba

A mulata é a tal (João de Barro e Antônio Almeida) – Ruy Rey

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna (com Petria Chaves, da CBN)

Roteiro: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro