No Brasil, além de um compositor nacionalista como Alberto Nepomuceno, o intercâmbio entre clássico e popular gerou figuras extraordinárias como Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga. Porém, foi Heitor Villa-Lobos, com seu gosto pelas rodas de choro, que encarnou melhor a ideia de que a música brasileira poderia ter uma linha, uma “escola nacional”. Para o novo episódio de Prelúdios, Arthur Dapieve selecionou duas peças de Villa-Lobos e outras de seus seguidores Tom Jobim, Francis Hime e Egberto Gismonti.

Repertório

Villa-Lobos. Sinfonia nº 6, “Sobre a linha das montanhas”: II. Lento – Osesp, regida por Isaac Karabtchevsky – 11:40

Tom Jobim. Saudade do Brasil – Tom Jobim e orquestra, regida por Claus Ogerman – 7:26

Francis Hime. Concerto para violão e orquestra: I. Modinha – Fábio Zanon e Osesp, regida por Alondra de la Parra – 12:05

Egberto Gismonti. Música de sobrevivência – Egberto Gismonti e a Orquestra Sinfônica Estatal da Lituânia, regida por Gintaras Rinkevičius – 10:20

Villa-Lobos. Choros nº 5 – Cristina Ortiz – 5:02

 

Prelúdios é apresentado no último sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz), e reapresentado na segunda-feira seguinte, às 22h.

Esta edição, excepcionalmente, está sendo apresentada na MEC no terceiro sábado do mês e na segunda-feira seguinte, em função do carnaval.

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição: Filipe Di Castro