Caco Velho nasceu em Porto Alegre, em 1920, com o nome de Mateus Nunes. Ganhou o apelido artístico pela fixação, no início da carreira, em cantar o famoso samba de Ary Barroso. É um cantor de sambas malandros, da mesma estirpe de Moreira da Silva e Jorge Veiga, seus contemporâneos, e do paulista Germano Mathias, a quem influenciou. Sem grande extensão vocal, balançava moderno, na tradição iniciada por Mario Reis e Vassourinha. Caco Velho teve uma carreira movimentadíssima a partir de 1944, quando foi para São Paulo. Depois, passou algum tempo no Rio, mas também em Paris, Lisboa e San Francisco, nos Estados Unidos, sempre voltando para São Paulo, onde chegou a ter uma casa noturna, a Derval Bar, e conjuntos de baile. Foi compositor, parceiro de Lupicínio Rodrigues, mas sem grandes sucessos. No entanto, deixou seu nome na galeria dos grandes hits internacionais. É de sua autoria um dos maiores sucessos da portuguesa Amália Rodrigues, o fado Barco negro, com Antonio Amabile. Nega, de Afonso Teixeira e Valdemar Gomes, a música deste Ouve Essa, gravada na década de 1950 com acompanhamento de Hervê Cordovil ao piano, é uma de suas gravações disponíveis no acervo do Instituto Moreira Salles. Caco Velho morreu em 1971.

O acervo musical do IMS compreende, entre outras, as coleções dos pesquisadores José Ramos Tinhorão e Humberto Franceschi. Para pesquisar em acervo.ims.com.br, é necessário utilizar o navegador Mozilla Firefox. Escreva no campo de busca os nomes dos artistas e os títulos das músicas que procura. Marque a opção “Música” para ter acesso aos fonogramas. A opção “Biblioteca” inclui partituras e livros.

Seleção e texto: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro