Negro telefone, feito em parceria com David Nasser, é um dos grandes sambas dramáticos de Herivelto Martins. Muitos pesquisadores consideram que faz parte do duelo musical que ele travou com sua ex-mulher, a cantora Dalva de Oliveira, de quem se separou ruidosamente em 1950. Esta gravação é de 1953, quando o Trio de Ouro era formado por Herivelto, Raul Sampaio e Lourdinha Bittencourt, substituta de Dalva na voz feminina.

 

Seleção e texto: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro