Está saindo no Brasil o primeiro dos três volumes dos diários de Ricardo Piglia (1941-2017). O escritor argentino preencheu nada menos do que 327 cadernos, utilizados como laboratórios para seus livros. A literatura é tema predominante nos diários, por vezes a partir de registros pessoais, como o do seu primeiro encontro com Jorge Luis Borges. Suas ressalvas a Gabriel García Márquez e Julio Cortázar são outros pontos que Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas destacam neste podcast da revista serrote. Os dois editores leem trechos do volume lançado pela editora Todavia, que trata dos anos de formação do autor. Ele morreu em 2017 vítima da terrível esclerose lateral amiotrófica.

 

Apresentação: Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas

Edição: Filipe Di Castro