Maior compositor a emergir da antiga União Soviética, Dmitri Shostakovich (1906-1975) deixou trabalhos em praticamente todos os gêneros clássicos. E deixou, ainda, uma relação ambígua com o regime comunista, entre aduladora e irônica. Dos muitos autores influenciados por Shostakovich, Arthur Dapieve escolheu dois que disputariam o título de principal herdeiro: Mieczyslaw Weinberg (1919-1996) e Alfred Schnittke (1934-1998). Peças de ambos estão no repertório deste programa.

Repertório

Schnittke. Prelúdio em memória de Dmitri Shostakovich (4:57) – Gidon Kremer (violino)

Weinberg. Sinfonia nº 12: III. Adagio (11:06) – Orquestra Sinfônica Estatal de São Petersburgo, regida por Vladimir Lande

Schnittke. Concerto Grosso nº 1: II. Toccata: allegro (4:26) – Gidon Kremer e Tatiana Grindenko (violinos), Yuri Smirnoff (cravo e piano) e a Orquestra de Câmara da Europa, regida por Henrich Schiff

Weinberg. Sinfonia de Câmara nº 3: I. Lento (10:04) – Gidon Kremer (violino) e Kremerata Baltica

Schnittke. Salmos de arrependimento: XII (7:12) – Coro Filarmônico de Câmara Estoniano, regido por Kaspars Putnins

Weinberg. Quinteto para piano: V. Allegro agitato (8:35) – Arc Ensemble

Schnittke. Stille nacht (4:19) – Francesco D’Orazio (violino) e Giampaolo Nuti (piano)

 

Prelúdios também é apresentado no último sábado de cada mês, às 20h, na Rádio MEC FM do Rio de Janeiro (99.3 MHz).

Apresentação: Arthur Dapieve

Edição: Filipe Di Castro