O poeta e ator Gregorio Duvivier conversa com Alice Sant’Anna sobre seus dois livros, A partir de amanhã eu juro que a vida vai ser agora, lançado pela 7 Letras em 2008, e Ligue os pontos – poemas de amor e big bang, publicado no fim do ano passado pela Companhia das Letras. Gregorio fala sobre como o humor está presente em tudo o que escreve, seja de modo mais brando, seja de modo mais histérico. Para ele, é importante que seus poemas sejam orais, “dizíveis” – e que, embora seja admirador da métrica, deixou de lado na sua produção mais recente a forma fixa do soneto. Para encerrar, lê dois poemas novíssimos e três do último livro.

 

Edição e sonorização: Filipe Di Castro