O livro Rio, cultura da noite, de Leo Feijó e Marcus Wagner, serve para Paulo Roberto Pires recordar personagens da noite carioca como seu Mario e dona Edna, da boate Mariuzim, ou cenários como o banheiro-lounge da Dr. Smith. Mais do que isso, serve para ele mostrar como é lamentável um nostálgico de segunda mão, que usa os mortos para condenar os vivos. Melhor é pensar em tempos, ainda que um pouco idealizados, nos quais vida noturna e intelectual se encontravam nas altas horas da cidade. Zicartola (foto), Vogue e Drink foram alguns desses lugares.

 

Apresentação: Paulo Roberto Pires

Edição e sonorização: Filipe Di Castro