Desde sua origem, o samba foi fruto de fusões, expôs-se a novidades, renovou-se constantemente. O programa que encerra a série de 31 boletins sobre os cem anos do samba seleciona experiências de hoje, como as de Elza Soares com um núcleo de músicos paulistas; do rapper Emicida com os sambistas do Quinteto em Branco e Preto em São Paulo; de Moyseis Marques misturando ritmos no Rio. E há quem esbanje talento ao reverenciar a tradição, como o paulistano Tuco Pellegrino e seu amor pela Portela. O grupo carioca Casuarina canta ao final: “Queira ou não queira, o samba é o meu lugar”. Mas é um lugar em pemanente transformação. Por isso, não envelhece.

Repertório

Hino vira-lata (Emicida) – Emicida e Quinteto em Branco e Preto

Made in Brasil (Moyseis Marques) – Moyseis Marques

Madalena (Monarco e Tuco Pellegrino) – Tuco Pellegrino, Monarco e Velha Guarda da Portela

Mulher do fim do mundo (Romulo Fróes e Alice Coutinho) – Elza Soares

Queira ou não queira (João Cavalcanti e Allan Monteiro) – Casuarina

Samba a dois (Marcelo Camelo) – Los Hermanos

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna (com Petria Chaves, da CBN)

Roteiro: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro