Sempre houve percussão no samba, mas nem sempre nos estúdios em que se gravavam sambas. Só em 1930 ela começou a entrar. Nos anos seguintes, ganhou importância nos arranjos de Pixinguinha e Radamés Gnattali. Depois, com os avanços tecnológicos e o reconhecimento do papel central que o ritmo excerce no samba, os tamborins e outros instrumentos puderam ser muito mais ouvidos em discos. O programa traça um panorama dessas mudanças até chegar ao presente, onde predomina a sonoridade construída nas rodas do subúrbio carioca (sobretudo as do bloco Cacique de Ramos) nas décadas de 1970 e 1980.

Repertório

Na Pavuna (Homero Dornelas e Almirante) – Bando dos Tangarás

Deixa esta mulher chorar (Sylvio Fernandes [Brancura]) – Francisco Alves e Mario Reis

Alegria (Assis Valente e Durval Maia) – Orlando Silva

SPC (Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz) – Zeca Pagodinho

Coisa da antiga (Wilson Moreira e Nei Lopes) – Clara Nunes

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna (com Petria Chaves, da CBN)

Roteiro: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro