A Turma da Pilantragem era um pássaro, um avião, o super-homem? Ninguém sabe direito o que foi aquela música balançante, de arranjos sofisticados e puxada por um grande cantor como Wilson Simonal (foto). Nonato Buzar, o compositor morto no final de janeiro, compôs clássicos do movimento, como Vesti azul e Carango. Surgida no final dos anos 1960, era o oposto do segmento politizado da MPB, e por isso sofreu a pior acusação para o período – seria alienada. Neste programa, Joaquim Ferreira dos Santos entrevista o historiador Gustavo Alonso, autor da biografia Simonal – Quem não tem swing morre com a boca cheia de formiga. Ele apresenta alguns sucessos da pilantragem e joias pouco conhecidas, como uma gravação de Brigitte Bardot para Nem vem que não tem.

Músicas

Mamãe passou açúcar em mim (Carlos Imperial) – Wilson Simonal

Tu veux ou tu veux pas (Carlos Imperial) – Brigitte Bardot

Vesti azul (Nonato Buzar) – Adriana

Carango (Carlos Imperial e Nonato Buzar) – Wilson Simonal

Dorinha (Paulinho Tapajós e Fred Falcão) – Turma da pilantragem

Não dá pra entender (Cassiano) – Os Diagonais

San Juanito (Carlos Imperial) – Maysa

Juliana (Antonio Adolfo e Tibério Gaspar) – Antonio Adolfo e A Brazuca

Eu quero mocotó (Jorge Ben Jor) – Erlon Chaves e a Banda Veneno

A Turma da Pilantragem (Ed Motta) – Ed Motta e Maria Rita

 

Apresentação: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro