No centenário de Antonio Callado, sua viúva, a jornalista e escritora Ana Arruda Callado, reapresenta no livro O país que não teve infância (Autêntica) 86 artigos publicados pelo também jornalista e escritor na revista IstoÉ entre 1978 e 1982. Era a época da redemocratização do país, e o artista assumidamente engajado combinava, na coluna “Sacadas”, a ironia habitual com seu olhar crítico e esperança no futuro. Esta, diz Ana Arruda em entrevista a Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas para o podcast da revista serrote, frustrou-se com o tempo. Callado morreu em 1997 “cansado de tudo”. Dizia que o Brasil era “um país inseguro de si mesmo”.

 

Apresentação: Paulo Roberto Pires e Guilherme Freitas

Edição: Filipe Di Castro