Chico Buarque escreveu uma carta-canção a Augusto Boal (Meu caro amigo) e fez Mulheres de Atenas em parceria com o diretor teatral. Mas a ligação de Boal com a música vai além desses dois casos. Ele dirigiu espetáculos marcantes como Opinião (1964/65), Arena conta Zumbi (1965) e O corsário do rei (1985), dos quais saíram as outras oito canções desta playlist. Edu Lobo, responsável pelas melodias de Arena conta Zumbi e O corsário do rei, é figura importante nesta seleção, assim como Chico Buarque, é claro.

A exposição Meus caros amigos – Augusto Boal – Cartas do exílio, com curadoria de Eucanaã Ferraz, fica em cartaz no IMS-RJ de 4 de junho a 21 de agosto.

Repertório

Meu caro amigo (Francis Hime e Chico Buarque) – Chico Buarque

Opinião (Zé Keti) – Nara Leão

Carcará (João do Vale) – Maria Bethânia

Zambi (Edu Lobo e Vinicius de Moraes) – Edu Lobo e Tamba Trio

Upa, neguinho (Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri) – Elis Regina

Sinherê (Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri) – Edu Lobo e Maria Bethânia

Mulheres de Atenas (Chico Buarque e Augusto Boal) – Chico Buarque

Choro bandido (Edu Lobo e Chico Buarque) – Chico Buarque

Tango de Nancy (Edu Lobo e Chico Buarque) – Lucinha Lins

Bancarrota blues (Edu Lobo e Chico Buarque) – Chico Buarque

Roteiro: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro

 

Chico Buarque lê carta enviada para Augusto Boal

Boal musical

Chico Buarque tem uma surpresa lendo para o IMS uma carta sua a Augusto Boal, escrita em 1975: uma estrofe inédita da canção “Meu caro amigo”, da qual ele não se lembrava.