Bob Dylan, agora Prêmio Nobel de Literatura, deixou marcas na música brasileira. Caetano Veloso, além de fazer um cover de Jokerman, cita o bardo em uma de suas letras mais longas, ao estilo Dylan, a quilométrica Ele me deu um beijo na boca. Belchior e Zé Ramalho, também associados ao tipo de letra discursiva do compositor americano, escancaram essa admiração em letras que o citam (Lira dos vinte anos, de Belchior) ou num disco inteiro de versões (caso de Zé Ramalho). Esta playlist, de Joaquim Ferreira dos Santos, relaciona algumas dessas passagens de Bob Dylan pelas vozes brasileiras (não, não foi incluída a versão do senador Eduardo Suplicy para Blowin’ in the wind). Inspirador de muitos, Dylan é citado até no título de um “samba provocação” de Gilberto Gil.

Repertório

De Bob Dylan a Bob MarleyUm samba provocação (Gilberto Gil) – Gilberto Gil

Lira dos vinte anos (Belchior e Francisco Casaverde) – Belchior

Como uma pedra a rolar (Like a rolling stone) (Bob Dylan, versão de Zé Ramalho) – Zé Ramalho

Jokerman (Bob Dylan) – Caetano Veloso

Ele me deu um beijo na boca (Caetano Veloso) – Caetano Veloso

Negro amor (It’s all over now, Baby Blue) (Bob Dylan, versão de Caetano Veloso e Péricles Cavalcanti) – Gal Costa

Tanto (I want you) (Bob Dylan, versão de Chico Amaral) – Skank

One more cup of coffee (Bob Dylan) / À flor da pele (Zeca Baleiro) / Vapor barato (Jards Macalé e Waly Salomão) – Zeca Baleiro

Blowin’ in the wind (Bob Dylan, versão de Diana Pequeno) – Diana Pequeno

O amanhã é distante (Tomorrow is a long time) (Bob Dylan, versão de Geraldo Azevedo e Babau) – Geraldo Azevedo

Don’t think twice, It’s all right (Bob Dylan) – Caetano Veloso

It’s alright, Ma (I’m only bleeding) (Bob Dylan) – Caetano Veloso

 

Seleção: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro