Na década de 1950, graças ao que fazia na Portela, Antônio Candeia Filho (1935-1978) já figurava entre os melhores compositores de samba. Mas sua vida deu uma guinada após 13 de dezembro de 1965, dia em que levou um tiro e passou a viver em cadeira de rodas. O tiro foi dado por um caminhoneiro a quem ele desafiara numa briga de trânsito. Candeia era um policial truculento. Após o acidente, tornou-se militante aguerrido do samba e das causas da população negra, chegando a romper com a Portela e criar a escola Quilombo. A lista de músicas escolhida pela Batuta para celebrar os 80 anos que ele completaria (em 17 de agosto) reúne algumas das músicas fortes de Candeia, a começar por De qualquer maneira, em que se vê “Sentado em trono de rei/ Ou aqui nesta cadeira”. A seleção termina com Luiz Carlos da Vila, seu parceiro póstumo em A luz do vencedor e autor de O sonho não se acabou, a maior reverência que recebeu.

Músicas

De qualquer maneira (Candeia) – Candeia

Ouro, desça do seu trono (Paulo da Portela/Candeia) – Candeia

Dia de graça (Candeia) – Candeia

Filosofia do samba (Candeia) – Candeia

Nova escola (Candeia) – Candeia

Pintura sem arte (Candeia) – Candeia

Samba da antiga (Candeia) – Candeia

Testamento de partideiro (Candeia) – Candeia

A luz do vencedor (Candeia/Luiz Carlos da Vila) – Luiz Carlos da Vila

O sonho não se acabou (Luiz Carlos da Vila) – Luiz Carlos da Vila

 

Seleção: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro