É possível que Acalanto seja a mais conhecida canção de ninar da música brasileira. Dorival Caymmi a compôs para a filha Nana, que estreou em discos interpretando-a ao lado do pai, em 1960. Mas Chico Buarque também fez um acalanto para a filha Helena, Tom Jobim compôs um Samba para Maria Luiza, e Caetano Veloso deu Boas vindas para Zeca, duas décadas depois de criar Júlia/Moreno, que compôs antes de saber que sexo teria seu primogênito. Joyce Moreno saudou duas filhas em Clareana, Milton Nascimento fez mais de uma melodia para o filho Pablo, e Francis Hime e Chico Buarque dividiram a parceria Luisa, pois ambos têm filhas com este nome (embora a de Francis seja com z). Por ocasião do Dia das Crianças, Joaquim Ferreira dos Santos reuniu este e alguns outros exemplos de homenagem feitas por artistas pais a seus filhos.

Músicas

Acalanto (Dorival Caymmi) – Dorival Caymmi e Nana Caymmi

Samba de Maria Luiza (Tom Jobim) – Tom Jobim e Maria Luiza Jobim

Boas vindas (Caetano Veloso) – Caetano Veloso

Acalanto para Helena (Chico Buarque) – Chico Buarque

Clareana (Joyce Moreno e Maurício Maestro) – Joyce Moreno

Júlia/Moreno (Caetano Veloso) – Caetano Veloso

Luisa (Francis Hime e Chico Buarque) – Francis Hime e Chico Buarque

Pablo (Milton Nascimento, Ronaldo Bastos e Jim Price) – Milton Nascimento

Oito anos (Paula Toller) – Paulo Toller

Espatódea (Nando Reis) – Nando Reis

Canção para Jade (Toquinho) – Toquinho

O mundo é bão, Sebastião (Nando Reis) – Nando Reis

Pais e filhos (Tim Maia) – Tim Maia

Loadeando (Marcelo D2) – Marcelo D2 e Stephan

 

Seleção: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição e sonorização: Filipe Di Castro