Paulinho da Viola completa 73 anos neste 12 de novembro. A ele costumam ser associadas imagens envolvendo “tempo”, “silêncio”…. E a Batuta acrescenta “coração”, uma palavra tão banal na canção popular, mas que, na voz de Paulinho, parece ganhar outro peso, tornar-se concreta, não apenas metáfora.

Selecionamos 11 músicas em que ele canta e reinventa o que chamamos por “coração”. Como o repertório poderia ser muito maior, escolhemos dez que integram discos relançados este ano: os da fase EMI-Odeon do artista (1968-1979), reunidos na caixa Ruas que sonhei após nova remasterização (Paulinho não gosta da feita na década de 1990 nos estúdios Abbey Road, em Londres). A faixa extra é a primeira, Coração vulgar, uma das primeiras composições de Paulinho e lançada em 1966 no disco Roda de samba, feito pelo conjunto A Voz do Morro (Paulinho, Elton Medeiros, Zé Keti e outros). As outras estão dispostas na ordem cronológica em que foram gravadas, de Foi um rio que passou em minha vida (1970) a Deixa pra lá (1979).

Músicas

Coração vulgar (Paulinho da Viola) – Paulinho do Viola e conjunto A Voz do Morro

Foi um rio que passou em minha vida (Paulinho da Viola) – Paulinho do Viola

Coração (Alberto Ribeiro) – Paulinho do Viola

Para um amor no Recife (Paulinho da Viola) – Paulinho do Viola

Coração imprudente (Paulinho da Viola e Capinan) – Paulinho do Viola

Nova alegria (Paulinho da Viola e Elton Medeiros) – Paulinho do Viola

Mente ao meu coração (Malfitano e Pandia Pires) – Paulinho do Viola

Sentimento perdido (Paulinho da Viola e Elton Medeiros) – Paulinho do Viola

Coração leviano (Paulinho da Viola) – Paulinho do Viola

Coração oprimido (Walter Alfaiate e Zorba Devagar) – Paulinho do Viola

Deixa pra lá (Paulinho da Viola) – Paulinho do Viola

 

Seleção: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro