Neste 7 de outubro, dia do compositor brasileiro, é bom lembrar que a classe sempre foi muito orgulhosa de seus integrantes. Há um repertório extenso de músicas em que um compositor reverencia colegas em suas letras. Esta playlist é apenas um pequeno exemplo da coleção. Djavan chegou a criar o verbo “caetanear” para saudar o baiano tropicalista que fez a sua cabeça. Muito antes, na década de 1950, Herivelto Martins e David Nasser criaram O maior samba do mundo, em que citam Ary Barroso, Noel Rosa e outros. Um dos exemplos mais conhecidos desse nicho da música brasileira é Paratodos, de Chico Buarque. Ele cita de Noel a Roberto Carlos, sem esquecer a turma da bossa nova e as canções praieiras de Dorival Caymmi. Cartola, Luiz Melodia, Ivone Lara, Gilberto Gil, Francisco Alves e Raul Seixas também foram lembrados por outros colegas nas canções desta playlist – todos merecidamente. Festa imodesta, de Caetano Veloso, não cita nenhum compositor explicitamente, mas funciona como uma saudação definitiva “a todos que se prestam a essa ocupação”. Salve o compositor popular.

Repertório

O maior samba do mundo (Herivelto Martins e David Nasser) – Linda Batista e Nelson Gonçalves

Paratodos (Chico Buarque) – Chico Buarque

Uma rosa para Cartola (Wilson Moreira e Nei Lopes) – Dona Ivone Lara

Sambista perfeito (Arlindo Cruz e Nei Lopes) – Arlindo Cruz

Doce melodia (Sérgio Sampaio) – Sérgio Sampaio e Luiz Melodia

Rock’n’Raul (Caetano Veloso) – Caetano Veloso

Francisco Alves (Herivelto Martins e David Nasser) – Nelson Gonçalves

Nelson Sargento (Chico Alves e Toninho Geraes) – Toninho Geraes e Chico Alves

Sina (Djavan) – Djavan

Festa imodesta (Caetano Veloso) – Teresa Cristina e Caetano Veloso

Tudo é bossa (Miguel Gustavo e Alcyr Pires Vermelho) – Os Cariocas
Gilberto misterioso (Caetano Veloso a partir de um verso de Sousândrade) – Caetano Veloso

 

Seleção: Joaquim Ferreira dos Santos

Edição: Filipe Di Castro