Composta por Zequinha de Abreu em Santa Rita do Passa Quatro (SP) com o título de Tico-tico no farelo, o hoje clássico Tico-tico no fubá completará cem anos em 2017. E continua encantando e sendo cantado. Roberta Sá interpretou o choro na cerimônia de encerramento das Olimpíadas, em 21 de agosto. Ela vestiu figurino remetendo a Carmen Miranda, estrela que contribuiu para a música se tornar um hit internacional ao gravá-la nos EUA em 1945 e cantá-la no filme Copacabana (1947), com participação de Groucho Marx. O choro já tinha sido utilizado antes em quatro outros longa-metragens de Hollywood, a começar por Alô, amigos (1943), da Disney. A letra entoada por Carmen é a propositalmente mais simples, feita por Aloysio de Oliveira em busca de sonoridade fácil. A mais adotada no Brasil é a de Eurico Barreiros, com maior elaboração.

A Batuta aproveita para mostrar algumas versões importantes de Tico-tico no fubá. Além das de Carmen e Roberta, há as cantadas por Ademilde Fonseca e Ney Matogrosso e quatro instrumentais: a original, da Orquestra Colbez (14 anos depois da criação de Zequinha); as das geniais duplas Pixingunha-Benedito Lacerda e Garoto-Carolina Cardoso de Menezes; e a do virtuoso acordeonista Sivuca.

Repertório

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu e Aloysio de Oliveira) – Carmen Miranda (1945)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu) – Pixinguinha e Benedito Lacerda (1946)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu e Eurico Barreiros) – Ademilde Fonseca com Benedito Lacerda e seu conjunto (1942)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu) – Orquestra Colbaz, direção do Maestro Gaó (1932)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu) – Garoto e Carolina Cardoso de Menezes (1943)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu e Eurico Barreiros) – Ney Matogrosso (2001)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu) – Sivuca (1951)

Tico-tico no fubá (Zequinha de Abreu e Eurico Barreiros) – Roberta Sá (2009)

 

Seleção: Luiz Fernando Vianna

Edição e sonorização: Filipe Di Castro