Guilherme Wisnik

Caetano Veloso

Canções de ontem e hoje: “Perdeu”

Guilherme Wisnik gostaria de tocar Vai passar, de Chico Buarque, em sua série no “Espaço em obra” (Rádio USP) sobre músicas que permanecem fortes. Mas a situação social e política do país o fez optar pela sombria Perdeu, de Caetano Veloso.

09.06.2017

Imagens contra o racismo e a exclusão

A exposição Todo poder ao povo, com trabalhos do artista que construiu a iconografia do movimento Panteras Negras nos EUA, é importante para o Brasil de hoje, diz Guilherme Wisnik. Na coluna “Espaço em obra” (Rádio USP), ele também comenta o filme Eu não sou seu negro.

26.05.2017

Elton Medeiros

Canções de ontem e hoje: “Maioria sem nenhum”

“Uns com tanto/ Outros tanto com algum/ Mas a maioria sem nenhum.” Estes versos de Elton Medeiros, que nunca caem em desuso no Brasil, são do samba selecionado por Guilherme Wisnik para a série de sua coluna “Espaço em obra” (Rádio USP) sobre músicas do passado que permanecem atuais.

19.05.2017

Cazuza

Canções de ontem e hoje: “Brasil”

A letra de Cazuza, interpretada por Gal Costa, retratou o desencanto das pessoas com o país em 1988. O sentimento está de volta hoje, como aponta Guilherme Winsik em sua série no programa “Espaço em obra”, da Rádio USP.

11.05.2017

Canções de ontem e hoje: “Aluga-se”

Guilherme Wisnik inicia em sua coluna “Espaço em obra”, na Rádio USP, uma série sobre músicas do passado que ajudam a retratar o Brasil de hoje. A estreia é com a música de Raul Seixas famosa pelo verso “Nós não vamos pagar nada”.

08.05.2017

Novos encontros e controles

As novas tecnologias não mataram os espaços públicos, como se temia, e ainda têm contribuído para a revitalização deles, aponta Guilherme Wisnik em sua coluna “Espaço em obra”. Porém, a apropriação pelas redes sociais de nossos contatos e preferências cria formas diferentes de vigilância.

27.04.2017

A utopia sem tempo

Guilherme Wisnik aponta, em sua coluna “Espaço em obra” na Rádio USP, que o espaço vem triunfando sobre o tempo no veloz mundo atual, o que torna difícil a situação da utopia, conceito que planeja novos futuros. Mas o termo criado no século XVI permanece em discussão.

20.04.2017

Cidades militarizadas

Na coluna “Espaço em obra”, da Rádio USP, Guilherme Wisnik comenta o livro Cidades sitiadas: o novo urbanismo militar e destaca como “Guerra às drogas”, “Guerra ao terror” e outros lemas fazem com que mecanismos de controle social suprimam direitos civis e tornam menos democráticos os espaços urbanos.

13.04.2017