Nathaniel Adams Coles ainda era um jovem músico quando incluiu King em seu nome artístico. Muitas figuras do jazz usavam apelidos como esse. No caso de Nathaniel, virou uma premonição: ele se tornou um dos reis da música popular dos Estados Unidos.

O centenário de nascimento de Nat King Cole se completa em 17 de março de 2019, e a Batuta celebra a data com uma série de três episódios roteirizados e apresentados por João Máximo. O jornalista é um dos principais conhecedores no Brasil da música norte-americana e realizou aqui na rádio documentários sobre Frank Sinatra, George Gershwin e Cole Porter.

O pianista de jazz, o cantor de voz aveludada, o grande vendedor de discos, o astro internacional, o artista que dava pouca importância ao racismo mesmo sofrendo agressões… São vários os aspectos de Nat King Cole retratados nos três capítulos, cada um com cerca de 50 minutos. Na íntegra ou parcialmente, 59 músicas são tocadas na série, algumas em gravações pouco conhecidas.

Com os pulmões destruídos pelos cigarros que fumava com voracidade, ele morreu perto de completar 46 anos, em plena fama. Passaram-se cinco décadas, e está provado que o tempo não lhe tirou a majestade.

 

Roteiro e apresentação: João Máximo

Edição: Filipe Di Castro