Os sambas e as bossas de Rodrigo Lessa
Entrevistas
8.10.2021

Os sambas e as bossas de Rodrigo Lessa

O bandolinista, violonista e compositor Rodrigo Lessa tem um trabalho marcado pela diversidade, combinando choro, samba, ritmos caribenhos e outras bossas. No álbum que lança em 2021, “No jeito”, o samba predomina, seja em formato instrumental, seja nas duas faixas cantadas. Está longe de ser um samba com roupagem tradicional. “Para mim, o samba é uma linha, uma história, continua se transformando”, afirma. Ele considera “No jeito” essencialmente carioca. “O Rio foi, no mínimo, a  panela de cozimento da música brasileira do século XX. Na verdade, entrou com quase todos ingredientes.”

Nesta entrevista a Luiz Fernando Vianna, ele explica que o álbum foi concluído na pandemia, cada músico gravando em separado, mas aproveitou-se, em alguns casos, de bases sonoras criadas nas duas décadas passadas. Por isso, o clarinetista Paulo Moura, morto em 2010, participa da faixa-título. Outra composição, parceria com a letrista Manu da Cuíca, homenageia Aldir Blanc, que morreu em 2020. Ainda há tema de outro disco, “Choro de verão”, sua música mais executada nas plataformas digitais.

Repertório

No jeito (Rodrigo Lessa) – Rodrigo Lessa e outros

Pro dia nascer Aldir (Rodrigo Lessa e Manu da Cuíca) – Thais Motta (voz), Rodrigo Lessa e outros

O que é que a bandola tem? (Rodrigo Lessa e Manu da Cuíca) – Thais Motta (voz), Rodrigo Lessa e outros

Rala coxa (Rodrigo Lessa) – Rodrigo Lessa e outros

Choro de verão (Rodrigo Lessa) – Rodrigo Lessa e outros

No gurufim do Tio Sam (Rodrigo Lessa e Edu Neves) – Rodrigo Lessa e outros

 

Apresentação: Luiz Fernando Vianna

Edição: Filipe Di Castro

 

Foto: Thiago Lessa