João Máximo reúne neste programa informações sobre quem foi Vinicius, a começar pelas que o próprio deu, como num texto escrito em 1956 a pedido de João Condé, o criador dos “Arquivos implacáveis” – coluna na revista O Cruzeiro e atração na TV Tupi. “As coisas de que mais gosto: mulher, mulher e mulher”, afirmou, então. A diferença entre poesia e letra de música é o outro tema do episódio. Há depoimentos de Chico Buarque, Ferreira Gullar, Geraldo Carneiro e Tom Jobim, entre outros. Pode-se ouvir Vinicius recitar Soneto de separação e, em seguida, Tom cantar a versão musicada. Gravações de João Cabral de Melo Neto e Otto Lara Resende, além de um soneto escrito por Pablo Neruda para o amigo, também estão no programa.

Este documentário vai ao ar numa parceria da Rádio Batuta com a Rádio Cultura Brasil (www.culturabrasil.com.br) e a VM Cultural (www.viniciusdemoraes.com.br), que representa a família de Vinicius.