A afinidade entre Vinicius de Moraes e a Bahia teve seu ápice em 1972, quando o poeta se casou (pela sétima vez) com Gesse Gessy, tendo Jorge Amado e Zélia Gattai como padrinhos, e foi viver em Salvador, enfronhando-se de vez no candomblé. Mas sua porção baiana era antiga, estimulada, por exemplo, pela amizade com Dorival Caymmi. Os dois e as também baianas do Quarteto em Cy realizaram um show de sucesso que ficou um ano e meio em cartaz, tendo estreado em dezembro de 1964 na boate Zum Zum, em Copacabana. Este programa lembra momentos desse show que ficaram clássicos, como os de Vinicius lendo "Carta ao Tom" e "Dia da criação". Anos depois, ele escreveu versos como "a patota de Ipanema não me interessa mais" e deixou (provisoriamente) o Rio. Como sempre, foi atraído por uma paixão, que acabou com muita dor. "Vinicius viveu sob o signo da paixão", resume o parceiro Toquinho em entrevista a João Máximo.

Este documentário vai ao ar numa parceria da Rádio Batuta com a Rádio Cultura Brasil (www.culturabrasil.com.br) e a VM Cultural (www.viniciusdemoraes.com.br), que representa a família de Vinicius.