Lúcio Rangel defendia suas paixões musicais com veemência, quase intolerância. Mas, como lembra João Máximo na abertura deste documentário em quatro capítulos, o crítico e pesquisador tinha personalidade afável e amável. Lúcio, cujo centenário se completou em 19 de maio de 2014, foi protagonista da vida cultural carioca e brasileira até 1979, quando morreu aos 65 anos.

Neste episódio, João Máximo mostra os autores de samba preferidos de Lúcio, como Sinhô, Ismael Silva, Noel Rosa e Ary Barroso. Sua adoração por Cartola era tamanha que, durante os anos em que o compositor mangueirense esteve sumido, pensava-se que ele era uma invenção de Lúcio.

O IMS lançou uma nova edição de Sambistas e chorões, um dos principais livros do crítico, que apresenta o mapeamento e análise do que considerava as raízes da música popular brasileira.

 

Músicas

Divina dama (Cartola) – Francisco Alves

Acontece (Cartola) – Cartola

Gosto que me enrosco (Sinhô) – Mario Reis

Jura (Sinhô) – Mario Reis

Deixa essa mulher chorar (Brancura) – Francisco Alves e Mario Reis

Não há (Ismael Silva/Nílton Bastos/Francisco Alves) – Francisco Alves e Mario Reis

Mangueira (Assis Valente/Zequinha Reis) – Francisco Alves

Tudo que você diz (Noel Rosa) – Francisco Alves e Mario Reis

Para me livrar do mal (Noel Rosa/Ismael Silva/Francisco Alves) – Francisco Alves

O X do problema (Noel Rosa) – Aracy de Almeida

A dama do cabaré (Noel Rosa) – Orlando Silva

No rancho fundo (Ary Barroso/Lamartine Babo) – Sílvio Caldas

A tua vida é um segredo (Lamartine Babo) – Lamartine Babo

Se acaso você chegasse (Lupicínio Rodrigues/Felisberto Martins)

Meu primeiro amor (Bide/Marçal) – Francisco Alves

 

Apresentação: João Máximo

Edição e sonorização: Filipe Di Castro